Apresentação

Plataforma digital criada para a incorporação de práticas museológicas, educativas e curatoriais na UNILA, através da difusão de mostras e coleções organizadas a partir da Universidade.

O Museu Digital UNILA é um espaço para salvaguardar e difundir virtualmente as coleções e mostras organizadas a partir da Universidade e produzidas em diálogo e colaboração com a sociedade. Nosso acervo cumpre a tarefa de promover exposições em múltiplas modalidades, formatos e linguagens, e ancoradas no tripé ensino, pesquisa e extensão. Constitui-se, também, como um lugar de mediação, com o desenvolvimento de ações educativas. Sua principal missão é fomentar a produção e a democratização do patrimônio, da memória e do intercâmbio científico-cultural latino-americano e caribenho através da organização e difusão de coleções e acervos digitais a partir da UNILA.

A implementação do Museu Digital UNILA (MUD) surge com o objetivo de promover a melhoria do acesso à informação científica, tecnológica e cultural existente na Universidade, a partir da organização e disponibilização de coleções oriundas do desenvolvimento de ações institucionais, de pesquisa, de ensino e extensão. A estruturação de uma plataforma digital mostra-se, assim, fundamental para a difusão científico-cultural na UNILA, na medida em que facilita a organização de acervos e coleções e potencializa sua comunicação para um público cada vez mais amplo, além de suprir parte da demanda pela incorporação de práticas museológicas, educativas e curatoriais na Universidade. Ainda que a UNILA não possua sob sua guarda um museu físico, são numerosas as iniciativas já existentes na instituição, em torno da produção e circulação de exposições relacionadas aos mais diversos temas, realidades, identidades e memórias. 

Esta iniciativa compreende que as coleções universitárias são fontes e referências imprescindíveis para a produção de conhecimento e para a memória e o desenvolvimento das universidades e da sociedade, correspondendo aos anseios científicos e culturais tanto das comunidades locais quanto da comunidade internacional. Portanto, é objetivo deste espaço constituir-se como um laboratório de práticas museológicas na UNILA, para contribuir com discussões em torno de uma práxis museal em oposição a um sistema hegemônico de controle e dominação historicamente construído. E, também, atuar em direção à garantia desta prática como um espaço de direito, de interdisciplinaridade, de pluralidade de identidades, memórias e narrativas, centrando-se, principalmente, na visibilidade de coleções por parte de grupos culturais e camadas populares diversas. Transversal a isso, o MUD busca colaborar, ainda, com o debate de temáticas urgentes para os museus universitários, como repatriação de acervos, políticas de manutenção, financiamento e preservação de estruturas e acervos públicos. 

Por fim, a iniciativa reconhece que é de grande relevância para a instituição e para a sociedade regional, latino-americana e caribenha, assim como para a história das universidades públicas, valorizar a memória construída a partir da UNILA e do seu entorno, com a criação, o fomento e a difusão de coleções e acervos. Nesse sentido, a plataforma de coleções e acervos digitais e digitalizados da UNILA apresenta-se como uma estratégia de inovação para a Universidade e, embora seja típica das ciências humanas, implica todos os campos do saber, contribuindo para a disseminação de conhecimento em diversas áreas. Em síntese, a proposta central do MUD está ancorada na compreensão de que as práticas museológicas são indissociáveis da produção de conhecimento e da emancipação humana. 

Convergência:

A convergência é uma categoria de grande importância para o MUD, e ela se reflete tanto nos arquivos das exposições que podem ser encontrados em diferentes técnicas, suportes e linguagens, como no diálogo entre distintas áreas do conhecimento, na publicação de uma diversidade de conteúdos e organização de mostras e ações educativas em distintas modalidades. Aqui no MUD, é possível encontrar acervos de artes, história, tecnologias, educação, territórios, vida e natureza, em coleções com arquivos digitais e digitalizados no formato de textos, imagens e vídeos. Encontra-se também nesta plataforma uma seção de notícias para divulgação e compartilhamento de práticas museológicas universitárias e comunitárias na América Latina e Caribe. E, ainda, uma biblioteca com disponibilização de artigos, teses, e-books, webinars e sites relacionados à temática da museologia, da curadoria, da memória e do patrimônio material e imaterial organizado por diferentes grupos e instituições ao redor do mundo. Outro eixo de atuação convergente é o esforço em transbordar o espaço virtual para expor as coleções também em mostras presenciais nos espaços da UNILA e de entidades/instituições parceiras. Além disso, busca-se promover ações formativas como seminários, conferências e colóquios, permitindo o desenvolvimento da atividade científica em sintonia com as atividades realizadas dentro da Universidade e destinadas e ao público em geral. É a perspectiva da convergência que torna o Museu Digital UNILA não apenas uma iniciativa para salvaguardar e difundir virtualmente as coleções organizadas a partir da Universidade, mas também um lugar de mediação.

Curricularização:

São muitas as possibilidades que o campo museológico pode trazer para o atendimento da curricularização da extensão, medida que torna obrigatório acrescentar a prática extensionista aos currículos de graduação. Essa regulamentação é parte de um processo que vem ocorrendo desde junho de 2014, quando o Plano Nacional de Educação 2014-2024, aprovado pela Lei 13.005, trouxe em sua meta 12.7 um grande desafio para a extensão universitária brasileira, que consistia em garantir um mínimo de 10% da carga horária total dos cursos de graduação em atividades de extensão. Com isso, a Resolução 7/2018/CNE/CES regulamentou o disposto na Meta 12.7 do Plano Nacional de Educação, e a Resolução 01/2021/COSUEN, publicada no Boletim de Serviços nº 17, regulamentou especificamente a curricularização da extensão nos cursos de graduação da UNILA. 

Essa regulamentação é orientada pela dimensão acadêmica da extensão, que, de maneira especial, articula as atividades universitárias à comunidade. Para ser implementada, a curricularização da extensão exige uma série de procedimentos para formalizar a carga horária em extensão no projeto pedagógico do curso (PPC) e o respectivo registro no histórico da(o) estudante. Portanto, as coordenações de cursos, os núcleos docentes estruturantes (NDEs) e os membros dos colegiados de cursos de graduação da UNILA interessados em aproveitar as ações museológicas podem buscar apoio da equipe do MUD para vincularem suas disciplinas a exposições curriculares que podem ser realizadas via museu digital.

Acesse aqui o vídeo de apresentação do MUD.